quinta-feira, 20 de abril de 2017

Portugal, Fátima

Mais umas prendinhas da minha sobrinha Andreia.
Muito obrigada, adorei!


Portugal, Padrão de cortiça

Fátima, Três Pastorinhos
Lúcia, Francisco, Jacinta


Fátima, Santuário de Fátima


Fátima, Nossa Senhora e os Três Pastorinhos

terça-feira, 4 de abril de 2017

Inglaterra, Londres

O meu filho Tiago trouxe-me três belos dedais de Londres.
Muito obrigado!


Londres, Tower Bridge


Londres
 

quinta-feira, 23 de março de 2017

Portugal, Lisboa

A amiga Clarinha lembrou-se de mim quando viu estes dois maravilhosos dedais cheios de símbolos da grande cidade de Lisboa.
Adorei, muito obrigada!

Lisboa

Eléctrico
Praça do Comércio, Arco da Rua Augusta



  
Torre de Belém
Chiado, Estátua do escritor e poeta Fernando Pessoa


sexta-feira, 17 de março de 2017

Portugal, Porto

Dedal da cidade do Porto oferecido pela minha filha Ana.
Muito original, gostei imenso!

Barco rabelo 
Ponte de D. Luís


sábado, 4 de março de 2017

Dedais duplos

Adquiri esta colecção de dedais duplos, que nunca tinha visto, de uma fina porcelana.
Gostei imenso quando os vi, são maravilhosos e originais!







domingo, 26 de fevereiro de 2017

Portugal, Nazaré

Nazaré, Traje da mulher da Nazaré

O traje da mulher nazarena é de extrema riqueza, quer pela sua história, quer pela sua harmonia estética.
Rico ou pobre, de festa ou de trabalho, o traje feminino da Nazaré ainda é bastante usado no dia-a-dia desta terra de pescadores, cheia de lendas, mitos e tradições.

As sete saias fazem parte da tradição, do mito e das lendas desta terra tão intimamente ligada ao mar.
Diz o povo que representam as sete virtudes; os sete dias da semana; sete cores do arco-íris; as sete ondas do mar, entre outras atribuições bíblicas, míticas e mágicas que envolvem o número sete.



Nazaré, terra piscatória
  

Nazaré

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Portugal, Batalha

Brasão da Vila da Batalha

A Batalha é uma vila portuguesa no Distrito de Leiria, região Centro e sub-região do Pinhal Litoral.

A povoação foi fundada pelo rei D. João I, juntamente com o Mosteiro de Santa Maria da Vitória (mais conhecido como Mosteiro da Batalha), para agradecer o auxílio divino da Virgem Maria concedido na vitória da batalha de Aljubarrota (14 de Agosto 1385).


O brasão de armas da Vila de Batalha apresenta uma cruz de S. Jorge a vermelho, carregada pela imagem de Nossa Senhora da Vitória com um menino ao colo, vestidos de azul com mantos de prata.

A Cruz de São Jorge foi invocada na Batalha de Aljubarrota, pelos portugueses.

A imagem de Nossa Senhora da Vitória assinala a edificação do Mosteiro de Santa Maria da Vitória em sua honra.

As Cruzes de Avis representam a Ordem de que o fundador da Batalha – D.João I – era Mestre.

As Cruzes do Timbre de Nuno Álvares, a vermelho, representam a figura do Condestável, principal responsável pela vitória da Batalha de Aljubarrota.


Batalha, Mosteiro da Batalha

O Mosteiro da Batalha foi construído ao longo de dois séculos desde 1387 até cerca de 1563, durante o reinado de sete reis de Portugal.

Exemplo da arquitectura gótica portuguesa, ou estilo manuelino, é considerado património mundial pela UNESCO, e foi eleito como uma das sete maravilhas de Portugal.

Em 2016, o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha, passou a ter o estatuto de Panteão Nacional.


Mosteiro-Batalha e Estátua Equestre D. Nuno Álvares Pereira
7 Maravilhas de Portugal